"Com candidatura própria ao Governo, PSOL apresenta propostas e não precisa se esconder atrás de outras candidaturas", defende o Professor Foto: Reprodução redes sociais

"Com candidatura própria ao Governo, PSOL apresenta propostas e não precisa se esconder atrás de outras candidaturas", defende o Professor

É uma satisfação e responsabilidade avaliar a indicação para integrar chapa majoritária no Parte

Sergio Gadini 24.05.2022 20h25

Alguns aspectos a destacar para entender cenário...
Em nível nacional, PSOL vai apoiar Lula no primeiro turno. Nos Estados, a situação é diferente, pois depende da avaliação da maioria do Partido. E, aí, no Paraná, expectativa é que a grande maioria mantenha candidatura própria ao governo, já com aprovação do nome da Professora Angela, que é consenso, na conferência estadual, que deve acontecer em breve.
 Até a conferência, algumas pessoas falam em apoiar outros candidatos no primeiro, o que não deve ser aprovado, por diversas razões, mas principalmente porque o partido precisa apresentar propostas e se tornar conhecido e passar cláusula de barreira.
 Aliás, a história política do Paraná confirma que todas eleições que polarizaram no primeiro turno resultaram em reeleição. Equivale dizer que se o PSOL quer contribuir na disputa deve entrar no debate e não se esconder atrás de outras candidaturas, por alguma conveniência ou acordo, que não é posição da maioria. No segundo turno, é outra situação e, pois, obviamente tem sentido falar em unidade de esquerdas. Fora isso, além de não ter sentido prático, seria optar por um caminho e interesse particular que não fortalece o Partido em nada no Paraná.
 Para candidato a vice, a direção estadual indicou meu nome para compor. É a primeira vez que um representante do PSOL de PG é convidado para integrar disputa majoritária.
Por isso, estamos conversando com Colegas/Compas do Partido e também avaliando situação profissional e pessoal.
Importante é que o Psol precisa, e vai, entrar no debate eleitoral 2022 no Paraná com propostas de gestão e fundamentalmente em defesa da ampliação e melhoria dia serviços públicos, que foram deixados em segundo plano pelas privatizações e desmontes promovidos pelos governos federal e estadual.
É hora de o PSOL mostrar a cara na disputa, inclusive porque um dos poucos mandatos que temos no Estado, o de PG na câmara municipal, foi eleito com candidatura própria, e graças ao trabalho e dedicação de incontáveis militantes e candidato/as que conseguiram votos suficientes para garantir uma cadeira de vereador. Não custa lembrar que a única candidatura eleita do PSOL em PG 2020 obteve cerca de 20% dos votos necessários ao partido, dependendo dos votos de dezenas de candidaturas, a maioria praticamente sem recursos financeiros e materiais.
 Daí a importância de entender o compromisso e responsabilidade de uma candidatura própria ao executivo, seja em nível municipal ou estadual.
A pré-candidatura da Professora Angela ao governo do Estado vai cumprir este papel no Paraná  em 2022.
De minha parte, é uma satisfação e responsabilidade avaliar a indicação para integrar chapa majoritária no Parte

PARTICIPE DO NOSSO GRUPO DE NOTÍCIAS NO WHATSAPP