Destaque Paraná

Governo do Paraná lamenta a morte do repórter cinematográfico ‘Café’

Reprodução
O cinegrafista estava internado tratando problemas de saúde e morreu hoje (07), aos 66 anos. Café era figura carimbada nas pautas do Palácio Iguaçu

O Governo do Paraná e a Secretaria de Estado da Comunicação lamentam a morte do repórter cinematográfico Elizeu Ferreira da Silva, mais conhecido como Café. Ele começou a trabalhar com comunicação em 1978 e há 20 anos era correspondente da CATVE, de Cascavel, em Curitiba. O cinegrafista estava internado tratando de problemas de saúde e morreu nesta quarta-feira (07), aos 66 anos.

Café iniciou sua carreira como contrarregra da antiga TV Iguaçu, mas logo começou a operar as câmeras de estúdio da emissora. Nos anos 1980 se tornou repórter cinematográfico e trabalhou em diversos veículos curitibanos.

Leia também: Paraná é o estado que mais esclarece homicídios no Brasil, aponta levantamento

Em 2004 passou a ser correspondente da emissora cascavelense na Capital, cobrindo principalmente as agendas de política. Era figura carimbada nas pautas do Palácio Iguaçu, conhecido pelos governadores e secretários de Estado e muito respeitado pelos colegas e pelo meio político de Curitiba.

“Café era uma figura emblemática da comunicação do Paraná, muito respeitado e querido por todos. Que Deus conforte todos os seus familiares e amigos nesse momento difícil”, disse o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

O enterro será no cemitério Umbará, em Curitiba, em horário ainda a ser definido pela família. Café deixa a esposa e três filhas.

Reprodução

    BNT Vídeos

    Quer receber as Newsletter BnT?

    Cadastre-se e receba, um email exclusivo com as principais noticias produzidas pela equipe do Portal Boca no Trombone