Destaque Ponta Grossa

Ranking de saúde primária coloca Ponta Grossa na penúltima colocação dos Campos Gerais. Veja números

Foto: Prefeitura de Ponta Grossa
De acordo com dados do eSUS Feedback, no terceiro quadrimestre de 2023, Ponta Grossa ficou na 11ª colocação no ranking, entre 12 cidades da região

O programa Previne Brasil, do Governo Federal, que mede indicadores da atenção primária oferecida à população pelos municípios, classificou Ponta Grossa com a nota 6,04, a segunda mais baixa dos Campos Gerais.

De acordo com dados do eSUS Feedback, no terceiro quadrimestre de 2023, Ponta Grossa ficou na 11ª colocação no ranking, entre 12 cidades da região. A nota 6,04 superou apenas Palmeira, classificada com 5,98. 

Sete cidades tiveram nota acima de 9,0. Veja a classificação de todos os municípios da 3ªRS de Ponta Grossa.

  1. Piraí do Sul: 10
  2. Porto Amazonas: 9,90
  3. Sengés: 9,80
  4. Carambeí: 9,75
  5. Arapoti: 9,19
  6. Ipiranga: 9,14
  7. Jaguariaíva: 9,11
  8. Castro: 8,90
  9. Ivaí: 7,18
  10.  São João do Triunfo: 7,17
  11.  Ponta Grossa: 6,04
  12.  Palmeira: 5,98

 

A reportagem procurou a Prefeitura para comentar sobre o número. De acordo com a Fundação Municipal de Saúde diz que tem feito ações para melhorar os índices. “A Fundação Municipal de Saúde informa que tem desenvolvido diversas ações voltadas para a melhoria do atendimento da comunidade e dos indicadores referentes ao ‘Previne Brasil’, tais como a reestruturação da rede e dos serviços de saúde oferecidos pelo Município, a contratação de novos médicos, a reforma e modernização das unidades de saúde, bem como a construção de novos estabelecimentos”.

O que é o Previne Brasil?

O Previne Brasil equilibra valores financeiros per capita referentes à população efetivamente cadastrada nas equipes de Saúde da Família (eSF) e de Atenção Primária (eAP), com o grau de desempenho assistencial das equipes somado a incentivos específicos. Ele possui 7 indicadores:

  • I1: Proporção de gestantes com pelo menos 6 (seis) consultas pré-natal realizadas, sendo a primeira até a 12ª semana de gestação.
  • I2: Proporção de gestantes com realização de exames para sífilis e HIV.
  • I3: Proporção de gestantes com atendimento odontológico realizado.
  • I4: Cobertura de exame citopatológico.
  • I5: Proporção de crianças de 1 (um) ano de idade vacinadas na APS contra Difteria, Tétano, Coqueluche, Hepatite B, infecções causadas por Haemophilus Influenzae tipo B e Poliomielite Inativada.
  • I6: Percentual de pessoas hipertensas com pressão arterial aferida em cada semestre.
  • I7: Percentual de diabéticos com solicitação de hemoglobina glicada.

Abaixo, você confere o detalhamento de cada um dos indicadores das 12 cidades. Todos os valore estão em %.

Leia também: Ministério da Saúde alerta que Ivermectina não é eficaz contra dengue


    BNT Vídeos

    Quer receber as Newsletter BnT?

    Cadastre-se e receba, um email exclusivo com as principais noticias produzidas pela equipe do Portal Boca no Trombone