#VCcomaBNT Destaque

Com salário atrasado, funcionários terceirizados dos Hospitais da UEPG discutem possível paralisação

Reprodução TCE
Trabalhadores estão tendo que emprestar dinheiro e indo trabalhar a pé pois não conseguem pagar passagem do ônibus

Sem receber o salário referente a dezembro de 2023, funcionários terceirizados dos Hospitais Universitários da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) dizem estar sem saída e discutem possível paralisação para a próxima semana. O caso chegou ao Portal Boca no Trombone através de diversos trabalhadores que não tem dinheiro para pagar as contas e nem para ir trabalhar.

O caso ganhou repercussão na última quinta-feira (18), quando publicamos uma reportagem contanto que o atraso no pagamento se deu devido a burocracias, como explicado pela UEPG. Mas de lá para cá a situação não mudou e os funcionários seguem sem previsão de pagamento.

“Temos contas a pagar, tudo atrasado, aluguel, tem colegas de trabalho que estão tendo que emprestar dinheiro de outras pessoas para comprar alimento também. Em conversa com outros colegas, eles relataram que estão tendo que vim trabalhar a pé pois não tem dinheiro para pagar passagem do ônibus”, contou um funcionário do Hospital Regional, que prefere não se identificar.

Ele ainda desabafa: “eu mesmo já não sei como vou ir trabalhar na semana que vem, pois não terei mais dinheiro para ir pro trabalho. É muito descaso com os funcionários. Levantamos cedo todos os dias para trabalhar, trabalhamos 12 horas por dia e ainda não somos valorizados”, disse.  “Nem relógio trabalha de graça”, finalizou o funcionário.

Uma técnica em enfermagem, que realizou a denúncia de forma anônima, contou que o “pessoal está querendo fazer greve. Uma possível paralisação para segunda-feira (29)”. As respostas ofertas pelas empresas terceirizadas aos funcionários não são animadoras, “hoje tivemos notícia que se receber é fim de fevereiro”, contou a técnica.

Outro funcionário ressaltou que a empresa que ele trabalha disse que “não tem previsão de pagamento”. Uma terceira trabalhadora encaminhou a nota que recebeu de sua empresa: “em contato com a direção, referente ao pagamento, conseguimos uma resposta oficial do hospital. Sabemos da dificuldade em não receber o salário na data prevista, infelizmente dependemos do pagamento do hospital para que o repasse seja feito. Nos comprometemos que quando recebermos, imediatamente os valores serão repassados.”

A nota termina dizendo que “infelizmente não temos a resposta de um dia exato que isso irá ocorrer. Mas estamos em cobrança diária com os responsáveis”.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do HU-UEPG a qual informou que “a Universidade Estadual de Ponta Grossa, por meio de sua Pró-Reitoria de Assuntos Administrativos, comunica que, da mesma forma que os demais órgãos do Estado, está em processo de adequação ao Sistema Único e Integrado de Execução Orçamentária, Administração Financeira e Controle (Siafic), software do Governo do Parana. A instituição trabalha para efetuar todos pagamentos, que podem ocorrer em datas diferentes das regularmente programadas”.


    Kauana Neitzel

    Kauana Neitzel

    Kauana Neitzel é jornalista formada pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

    Atua na área desde 2020. Possui experiência com redação em portais de notícia; trabalhou em rádio; participou de projetos do Governo do Paraná na área da fotografia e redação; estagiou na UTFPR, no departamento DIREC; trabalhou como chefe de redação em jornal impresso e site na região Centro-Sul do Paraná; atualmente, exerce o cargo de editora chefe no portal Boca no Trombone.

    Comentar

    Clique aqui para comentar

    BNT Vídeos

    Quer receber as Newsletter BnT?

    Cadastre-se e receba, um email exclusivo com as principais noticias produzidas pela equipe do Portal Boca no Trombone