Coluna

Homenagem as mamães, por John Elvis Ramalho

Na coluna desta semana, John Elvis Ramalho faz uma singela homenagem a todas as mães e recorda histórias que envolve o músico BJ Thomas

Fala galera do Portal BNT, aqui vamos nós para mais uma coluna, mas essa é muito especial, pois vou escrevê-la em homenagem a minha mãe, e assim fazendo, estendo a todas as mamães de todos aqueles que lerem esta singela homenagem.

A palavra mais linda e singela de todo o universo tem apenas três letras e provavelmente deve ser a palavra mais dita na história da humanidade, porque principalmente quando somos crianças chamamos por ela praticamente todo o tempo.

Obrigado mãe por me dar a vida, e saiba que sou muito grato de ainda tê-la sempre por perto, e rogo a DEUS que isso perdure por muito e muito tempo ainda. Afinal MÃE deveria ser eterna.

Permitam-me contar uma história verídica, vou tentar ser breve…

ROCK’N’ROLL LULLABY

Meus pais casaram-se muito jovens, eram os anos 70, tempos de calça boca de sino, de rádio no auge, de músicas de extrema qualidade, mas também eram tempos bem mais difíceis e de recursos bem mais escassos evidentemente.

Pois bem, nasci prematuro, e minha mãe tinha apenas 16 anos de idade e era totalmente inexperiente. Por isso posso afirmar, que minhas avós foram também fundamentais para que eu literalmente “sobrevivesse”, então revezavam, ora estávamos na antiga Vila Santa Paula, que naquele tempo era longe demais, e em outro momento estávamos no Núcleo Luiz Gonzaga, que pra quem não conhece é um conjunto habitacional quase pioneiro aqui na cidade.

Eu tinha alguns problemas de saúde como bronquite por exemplo, o que segundo minha mãe, algumas vezes causava algumas “correrias” para o hospital, e além disso alguns cuidados a mais do que o normal, e isso durou alguns meses, fico imaginando a dificuldade logística naqueles quase fim de 1977, não deve ter sido nada fácil e minha mãe foi muito guerreira.

Ela também me conta que nossa vida melhorou quando já em 1978 fomos morar no recém construído Núcleo Habitacional Monteiro Lobato, que era mais perto do trabalho do meu saudoso pai, que trabalhava na antiga TV ESPLANADA, e que começava a obter crescimento profissional, mas para isso acontecer, ele não tinha muito que escolher horário de serviço e assim sendo em muitas oportunidades, ficávamos somente eu e ela. E agora que o Rock entra pela primeira vez na minha vida, e ela me conta essa história sempre que tocamos no assunto e da seguinte forma.

Em momentos em que eu chorava muito ou então quando queria que eu adormecesse ela não cantava pra mim nenhuma canção popular brasileira e sim Rock’n’N,Roll Lullaby de BJ THOMAS, e segundo ela dava muito certo em todas as vezes e o que é ainda mais incrível é que provavelmente minha mãe não sabia a tradução da música, que é muito linda e que tem muito a ver com tudo isso, pois trata-se simplesmente de uma CANÇÃO DE NINAR. Pois é tem coisas que são deliciosamente inexplicáveis, e que bom que eu posso dividir isso com vocês.

PEÇA BENÇÃO PRA SUA MAMÃE

 

NÃO FIQUE MARCANDO !

 

JOHN ELVIS RIBAS RAMALHO

RADIALISTA E APRESENTADOR DO CLUBE ROCK LIGHT 94.1 FM

BACHAREL EM DIREITO E COLUNISTA DO BNT

Leia também: Morre a professora Maria Rita Medeiro, aos 72 anos. Prefeitura de Ponta Grossa se manifesta


John Elvis Ribas Ramalho

John Elvis Ribas Ramalho

Comentar

Clique aqui para comentar

BNT Vídeos

Mais Lidas

Quer receber as Newsletter BnT?

Cadastre-se e receba, um email exclusivo com as principais noticias produzidas pela equipe do Portal Boca no Trombone