Ponta Grossa

Pesquisa de servidor da UEPG é mencionada em livro lançado em 2024

Assessoria
Dirceu Klemba acompanhou o desenrolar das pesquisas, realizando diversos procedimentos com o objetivo de provar ou reprovar pontos cruciais da investigação

Dirceu Klemba, pesquisador e servidor público da Universidade Estadual de Ponta Grossa, como técnico de laboratório, teve seu trabalho de pesquisa realizado no caso Carvalho mencionado no livro ETs DE VARGINHA – Montando o quebra Cabeça, de autoria de Edison Boaventura Junior lançado em 20 de janeiro de 2024. Desde o início do Caso Carvalho, Dirceu Klemba acompanhou o desenrolar das pesquisas, realizando diversos procedimentos com o objetivo de provar ou reprovar pontos cruciais da investigação, ouvindo testemunhas, realizando análises químicas do solo, análises de imagens e outros procedimentos quando necessários. 

CASO CARVALHO COMPLETOU 2 ANOS E SEGUE EM PESQUISA.  

Após a apresentação do caso há um grupo de ufólogos e estudiosos da casuística, foi constitui-se um grupo de trabalho que estudou, analisou e avaliou o caso, constituindo um relatório. Participaram desta pesquisa os pesquisadores e ufólogos Adriano Paula Costa, Dirceu Klemba, Geovanni Chrestani, Jefferson Borba de Souza, Paulo Cesar de Oliveira, Paulo Henrique da Silva, Roberto Alexandre Freires Sampedro, Wilson Geraldo de Oliveira, além do pesquisador, ufólogo e psicólogo Alfredo Welker Sobrinho. A partir de junho de 2023, Edison Boaventura Junior também passou a pesquisar o caso. 

TESTEMUNHAS ENTREVISTADAS

Este caso contou com várias testemunhas que declararam em seus depoimentos o que viram ou presenciaram em diferentes momentos entre 11 de abril a 02 de julho de 2023. Entre as entrevistas mais importantes para o caso, estão: 

Marisa R. L. (49) – Natural de Ponta Grossa – Paraná, do lar, ensino médio completo. 

David L. C. N. (26) – Natural de Ponta Grossa – Paraná, autônomo, ensino médio completo. 

Anderson L. C. N. (28) – Natural de Ponta Grossa – Paraná, autônomo, ensino médio completo. 

Diego L. C. N. (24) – Natural de Ponta Grossa – Paraná, técnico em informática, ensino médio completo. 

Vizinho – Inquilino de Marisa R. L. optou em não se identificar e não autorizou o uso de sua imagem, apenas seu depoimento. 

 LOCAL DAS ATIVIDADES 

Proximidade do Arroio Pilão de pedras, Vila Vilela, Bairro Jardim Carvalho, Ponta Grossa, Paraná, tendo como referencial geográfico as Ruas Carlos Chagas, Souza Franco e Farias de Brito. 

RELATO DE MARISA R. L. 

“Em seu relato, foi solicitado a Marisa para contar em ordem cronológica desde o primeiro dia que os fatos começaram a acontecer. Marisa respondeu que dia 11 de abril de 2022 ela se levantou pela manhã, saiu para fora e avistou um ser, alguém perto do limoeiro, estava pegando no cipó do maracujá, ele tinha três dedinhos e ela achou que era alguém pegando limão. Disse que chegou perto e quando este ser virou para ela, Marisa se assustou, pois viu os olhos bem vermelhos, três protuberâncias na cabeça tipo bananas, corpo marrom escuro, parecia ter óleo sobre o corpo, então Marisa foi se afastando e notou que ele tinha três dedos e tinha membranas entre os dedos das mãos e dos pés, que ele foi a passos largos e pulou o muro se deslocando pela lateral da casa em direção a casa 3. Marisa entra para dentro muito apavorada, seu filho acordou e ela começou a falar que tinha visto um ser parecido com o de varginha. Disse que o filho tentou acalmá-la, e então seu outro filho levantou perguntando o que teria acontecido, aí ela explicou a ele o que aconteceu e pediu para chamar a polícia ou o exército para pegar o ser, então seu filho sugeriu chamar um ufólogo para resolver o problema. Marisa detalha sobre o contato com o ufólogo, a chegada do mesmo e a investigação do campo pela manhã e à noite.  

No dia seguinte (12), Marisa disse que viu dois seres e que ficou muito apavorada, disse que tocou eles, que xingou eles, tentou atropelar de qualquer forma, disse que não queria eles lá. Então entrou para dentro e fechou a porta e travou com uma cadeira, com medo que eles entrassem na casa, e chamou seu filho Anderson. Enquanto Anderson se levantava, as criaturas já tinham ido embora, e disse que não sabe por onde eles saíram. Ao ser questionada sobre o que eles faziam, disse que olhavam para o muro. Em 08 de maio, Marisa viu mais uma criatura, ao sair para fora avistou a criatura, então se aproximou, e neste dia teve coragem e pegou pelo pulso e tentou arrastá-lo para dentro da casa pois queria que seus filhos também o vissem, para provar que não era sonhos, ilusão, ela queria que eles tivessem certeza de que ela estava falando a verdade. Disse que ao pegar no pulso dele, sentiu ser gelatinoso e frio, disse que o ser andou um pouquinho, mas que se assustou de alguma coisa, olhou para a frente e para trás e tirou o braço da mão de Marisa e correu, pulou o muro, disse que seus passos eram largos e com andar desajeitado. Disse que voltou para dentro da casa e acordou seu filho Anderson e falou o que tinha acontecido, sendo repreendida por ter tocado na criatura. 

Relatou que em 24 de maio de 2022, pela manhã, ao sair para fora como de costume, visualizou uma criatura, e que imediatamente chamou seus filhos para verem, mas quando verificado, elas não estavam mais no local. (Nesta informação, houve confusão sobre a data, em alguns momentos, Marisa diz que foi em 22 de maio e em outros diz ser em 24 de maio, pairando esta dúvida. É importante relatar que Marisa reconhece esta dificuldade da exatidão sobre a data. Quando conversado com a testemunha sobre isto, Marisa lembrou que em todas as situações, ela coloca um litro de agua para esquentar e que quando retorna, “após alguns segundos”, segundo ela de 10 a 30 segundos de contato, é o que ela percebe, a água já ferveu e está quase no fim, sendo necessário aquecer nova água para coar o café. 

No dia 24 de junho de 2022, pela manhã, ao sair para fora como de costume, visualizou duas criaturas, e que imediatamente fechou a porta ignorando-as, acordou seu filho que ao sair não viu nada.  

No dia 28 de junho de 2022, disse que se levantou e ao sair para fora se deparou com 3 criaturas que olharam para ela, desta vez sentiu medo, entrou para dentro da casa e acordou seus filhos, que quando saíram, não viram nada além das marcas no solo. 

Na madrugada do dia 02 de julho de 2022, disse que os filhos a acordaram e disseram que tinham visto o que ela teria visto. Sampedro perguntou sobre os olhos, e Marisa disse que não tinham pálpebras, eram só olhos grandes e vermelhos, não tinham córneas, apenas tudo vermelho, sem refletir luz. Disse ainda que no dia 01 pela manhã sentiu cheiro forte e que os cheiros anteriores lembravam água sanitária, mas sentindo o cheiro na amostra coletada (figura 16), conseguiu identificar que era o mesmo cheiro que sentiu nos momentos anteriores em que viu as criaturas. Questionada sobre o tempo, demonstrou confusão, pois em todos os momentos disse que o contato foi em segundos, mas disse que eram minutos, o que abre uma hipótese de ter acontecido um contato com maior tempo. Falou sobre o comportamento dos animais nos dias das aparições, que estavam assustados como se um predador fosse atacar, enquanto em outros momentos comportavam-se como estar hipnotizados. Wilson questionou a respeito de cada uma das aparições e em relação ao tempo de contato, percebendo que não sabia precisar o tempo de contato em cada situação. Sampedro questionou a respeito de sonhos, e Marisa disse que sonha sim com eles, que via os olhos vermelhos, e que quando acordava estava suada, mesmo com frio e que nestes sonhos eles sempre estavam chamando-a”. 

RELATÓRIO SOBRE O CASO 

Após um ano de investigação, os pesquisadores concluíram o relatório físico do caso, de modo geral, considerando os relatos obtidos de forma espontânea de cada um dos entrevistados em diferentes situações, as evidencias e hipóteses levantadas, os resultados técnicos das analise de solos, anomalias, imagens, interpretações teóricas fundamentadas em material científico, não existem dúvidas sobre o fato ocorrido, desta forma a equipe salienta a alta probabilidade do caso ser autêntico. 

REPERCUÇÃO DO CASO 

 

Após conhecimento público do caso, diversos canais de comunicação buscaram informações a respeito do ocorrido, sendo realizadas diversas lives em diversos canais. Em junho de 2023, Edison Boaventura Junior decidiu investigar o caso e veio até Ponta Grossa para executar a investigação. Acompanhe a entrevista no link: https://bntonline.com.br/et-do-jardim-carvalho-traz-ufologo-a-ponta-grossa/  

Em janeiro de 2024, Edison Boaventura Junior lançou em São Paulo o Livro ETs DE VARGINHA – Montando o quebra Cabeça, mencionando o caso de Ponta Grossa como referencial em livro.

Leia também: Câmara aprova lei que prevê passe-livre nos ônibus para vestibulandos em dias de prova em PG


BNT Vídeos

Mais Lidas

Quer receber as Newsletter BnT?

Cadastre-se e receba, um email exclusivo com as principais noticias produzidas pela equipe do Portal Boca no Trombone