Ponta Grossa

Fachada do Campus Centro da UEPG é tombada pelo Patrimônio Cultural

PMPG
Por quase seis décadas, o prédio fez parte da história da vida de muitas pessoas. Os conselheiros aprovaram, por unanimidade, o tombamento da fachada do Bloco A

A Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura, realizou, na noite de ontem (dia 3) a sessão pública de tombamento do Bloco A do campus central da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e da Praça Santos Andrade, que fica na entrada do prédio. A sessão aconteceu no Cine-Teatro Ópera e o Conselho Municipal do Patrimônio Cultural (Compac) aprovou a proposta por unanimidade.

A decisão pelo tombamento do bloco A da UEPG se deu pela importância histórica, artística e arquitetônica do prédio. O local foi o primeiro prédio da Universidade, que hoje se encontra em dois campi (central e de Uvaranas), além de contar com outras unidades espalhadas pela cidade.

“Este tombamento demonstra o compromisso da Universidade Estadual de Ponta Grossa com a história da própria instituição, com a história da cidade e principalmente com as vivências de cada um e de cada uma que passou por aquele prédio”, comemorou o reitor, professor Miguel Sanches Neto. Segundo ele, ganha a comunidade e todos aqueles que convivem com aquela paisagem arquitetônica tão significativa. “É a UEPG cumprindo o seu papel junto à comunidade”.

De acordo com o histórico que consta no site da Instituição, a UEPG “foi criada pelo Governo do Estado do Paraná, através da Lei no 6.034, de 6 de novembro de 1969, e Decreto no 18.111, de 28 de janeiro de 1970”. Na oportunidade, também foram criadas a Universidade Estadual de Londrina (UEL) e Universidade Estadual de Maringá (UEM). No caso da UEPG, a universidade incorporou faculdades estaduais já existentes no município e que funcionavam isoladamente.

A partir do tombamento, devem ser mantidos todos os aspectos particulares da concepção do prédio do Bloco A. Porém, podem ser realizadas obras internas, desde que sejam condizentes com o caráter da estrutura em questão. Para isso, os projetos devem ser previamente aprovados pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural.


Avatar

Das assessorias

Comentar

Clique aqui para comentar

BNT Vídeos

Quer receber as Newsletter BnT?

Cadastre-se e receba, um email exclusivo com as principais noticias produzidas pela equipe do Portal Boca no Trombone