#VCcomaBNT Destaque

Funcionárias terceirizadas do Fórum de PG estão com salários atrasados

Até a data de hoje (17), as trabalhadoras continuam sem receber o salário e vale alimentação de dezembro

Trabalhadoras terceirizadas da empresa DGX/ECOL, responsáveis pelos serviços de limpeza no FÓRUM de Ponta Grossa, estão com atraso nos pagamentos de seus salários, caso vem ocorrendo desde novembro de 2023.

O Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação de Ponta Grossa (SIEMACO) têm notificado a empresa DGX e o Tribunal de Justiça do Paraná sobre a situação desde o ano passado.

Mesmo após uma audiência de mediação no Ministério do Trabalho de Curitiba, “a empresa não responde aos ofícios do sindicato, e o Tribunal de Justiça não tomou nenhuma medida efetiva para solucionar o problema”, disse o departamento jurídico do SIEMACO. Até a data de hoje (17/01/2024), as trabalhadoras continuam sem receber o salário e o vale alimentação referente a novembro, dezembro de 2023 e janeiro de 2024, que deveria ter sido quitado até o 5º dia útil de cada mês. Recebendo apenas o vale transporte. A situação é a mesma em todos os Fórum do Paraná, não é uma situação exclusiva de Ponta Grossa.

Maria Donizeti Teixeira Alves, presidente do Siemaco Ponta Grossa, explicou que em uma mesa redonda realizada no final de 2023 junto ao Ministério do Trabalho com sindicatos de trabalhadores do Estado do Paraná, a empresa afirmou que pretende continuar atrasando os pagamentos pelo menos até março de 2024. Diante dessa situação, o Siemaco Ponta Grossa encaminhou um ofício ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e ao Tribunal de Justiça, mas o MPT arquivou o caso, alegando que o sindicato deve tomar as medidas cabíveis jurídicas.

As trabalhadoras, em relato ao Siemaco, expressam medo de entrar com um processo trabalhista contra a empresa, pois dependem do emprego para sobreviver e sustentar suas famílias. “O que elas e nós queremos é que a empresa pague o que deve às trabalhadoras até o 5º dia útil de cada mês que é o que está na lei”, disse Maria Donizeti.

Apesar de diversas reuniões do tribunal com a empresa e estabelecimento de prazos para os pagamentos, até o momento nada foi efetivado. Maria Donizeti contou ao portal BNT que a empresa DGX/ECOL tinha o prazo até 15 de janeiro para efetuar os pagamentos, mas isso não ocorreu, e uma nova data, 22 de janeiro, foi estabelecida para cumprir as obrigações.

O Siemaco agora pede ao Tribunal de Justiça que encerre o contrato com a empresa, pois além dos atrasos, as funcionárias têm direito a multas pelo atraso nos pagamentos. “É muito tempo de espera para quem tem que pagar aluguel, água, luz, comprar comida. Esse é o único meio de sustento delas, então isso precisa ser resolvido logo”, enfatizou Donizeti.

A empresa DGX TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS LTDA, com matriz em Londrina, foi contatada pelo portal BNT para comentar sobre o assunto, mas até o fechamento desta matéria não recebemos resposta.

Leia também: Prefeitura de PG pode tomar posse de imóveis urbanos abandonados


    Lucas Portela

    Lucas Portela

    Lucas é jornalista formado em Bacharel pelo Centro Universitário Santa Amélia (UniSecal) de Ponta Grossa.

    Graduado desde 2021, possui experiência com redação em portais de notícia, trabalhou nos bastidores de uma emissora de TV local, se aventurou como produtor audiovisual em uma agência de publicidade, já estagiou como assessor de imprensa na Secretaria Municipal de Educação de Ponta Grossa e atualmente exerce o cargo de jornalista redator no portal Boca no Trombone.

    Comentar

    Clique aqui para comentar

    BNT Vídeos

    Quer receber as Newsletter BnT?

    Cadastre-se e receba, um email exclusivo com as principais noticias produzidas pela equipe do Portal Boca no Trombone